quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Aos que lutam por democracia

Aos que não são PT mas lutaram contra o retrocesso dos privatas entreguistas:

As eleições se foram, entre dois grupos de políticos retrógrados escolhemos o menos ruins e lutamos contra os privatas entreguistas. Optamos por um mínimo de desenvolvimento social praticado nos últimos 12 anos, pelo apoio total a nova ordem mundial chamada BRICS e pela liberdade de expressão. Gostaríamos de ter lutado por mais, porém isso era o que tínhamos.
Tivemos de um lado a corrupção da governabilidade unida aos pequenos corruptos travestidos de trabalhistas, que sempre sobreviveram no oportunismo.  De outro, a corrupção generalizada,  travestida de neoliberais, apoiada pelos setores mais retrógrados e burros da sociedade. Pessoas que no ultimo século se enriqueceram de golpe em golpe.
A vantagem do PT sobre o PSDB é clara para quem ainda enxerga além de Globo, Veja e pijamas verde oliva mijados e ensebados pelo tempo. Pequenas manifestações burguesas, comandadas por fascistoides aproveitadores nos dão a certeza, que não existia outro caminho.
Entramos numa nova fase e a luta continua. Agora é a vez da luta contra os vícios da governabilidade, dos apoios toma lá, dá cá. A luta contra os aproveitadores que dominam o congresso e vendem votos necessários a manutenção do governo.
Essa luta é contra bancadas de aluguel, contra as bancadas religiosas, sempre prontas para solicitar um terço.  É contra as bancadas dos acordos, peemedebistas, pedetistas, petebistas, pesedistas e outras.  Essas se unem e criam dificuldades para vender facilidades. São apoiadas por empreiteiras, industrias, bancos, agronegócios e todos aqueles, que acreditam no progresso próprio. Vão roubar, corromper, desmatar e matar.
A luta é por um judiciário forte, que não seja vedete, que não queira julgar como show. Precisamos justiça, a partir dos pequenos municípios, das pequenas licitações e uma lei séria e rápida contra o enriquecimento milagroso.
A luta é por reforma política, contra coligações e por clausulas de barreiras. Vamos acabar com os políticos de aluguel.
A luta é por reforma agraria e por preservação ambiental. Além é claro, da manutenção e ampliação das conquistas sociais.
O PT não é de esquerda. Embora insistam nessa tecla os burros fascistas. PT é tão liberal como o PSDB, com visão ampliada de poder, que gerou uma redistribuição de renda, tímida, mas providencial.  A esquerda do PT foi aniquilada, não por um Joaquim qualquer, mas pelo próprio PT. Lula nunca esteve na esquerda, sempre foi um trabalhista e nada mais a direita, que um trabalhista na mesa do patrão, mas Lula, diferente de outros, teve visão social e enxergou o povo na outra ponta.  Para os idiotas da direita, tudo que se faz pelo povo é vermelho. Mas ainda assim, Lula, foi o que de melhor aconteceu desde João Goulart.  Esse sim teria sido um divisor na política do século XX.
A luta atual é pelos ministérios e nessa não podemos nos calar. O ministério petista é cada vez mais a direita, não a direita entreguista tucana, mas a direita nacionalista protetora dos iguais.

É necessário que os petistas acordem e ajudem influenciar a presidenta. Não queremos governabilidades. Queremos um governo. Do povo, para o povo.