quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

Governança desemboca no fundamentalismo.

Caminhamos para um estado fundamentalista de capital estrangeiro, onde a água será dividida entre Coca-Cola e Nestle, mas os paulistas estão preocupados com ações da Petrobras. 

São contra aborto, mas querem pena de morte. São pela paz, mas querem andar armados. São contra a corrupção, mas votam em Maluf, Pita, Quércia, Alckmin e Serra.

Não temos escolas de qualidade pois os militares acabaram com elas (1973) para privilegiar as particulares. 

Falam de menores traficantes, mas votam em maiores com 450 kg de coca. 

Querem acabar com o SUS, para repassar dinheiro aos planos de saúde. 

Pagamos IPVA e nos cobram pedágios... tudo fantástico, mas estão preocupados com as ações da Petrobras.