sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Esquerda Festiva X Direita Paneleira


Farinhas do mesmo helicóptero

Num país cada vez mais ignorante, correntes manipuladas fazem o jogo do empurra, curtindo o mesmo pó ao som do pancadão nas baladas da vida inútil.
Com posições aparentemente antagônicas vibram com a própria ignorância histórica e relincham frases parecidas.
Os dois grupos desfilam com apoio das mídias, nas manifestações fecais e com os mesmos gestuais, mostram suas bunda fedorentas na Paulista, ou nos espelhos d´agua do planalto Central.
Para os dois grupos políticos são todos iguais e o bom seria trocar todos por eles. Tanto faz o mini burguês filho da paneleira, como o mini burguês pseudo-esquerda.
Um decora noticias da Globo e Veja, em meio ao pó, enquanto o outro decorou frases de Marx, como receitas de bolo de canabis.
Os dois grupos de idiotas têm a receita.  Teóricas...
Na pratica um é o “eu”, o outro deveria ser “todos.
Na direita e na esquerda hoje, a subserviência impera. De maneira diferentes é claro, mas sobre o mesmo comendo dos donos do mundo. A direita e a esquerda não percebem.
Hoje temos uma direita democrática e Esquerda democrática. Balela. História mal contada do péssimo uso do politicamente correto.
Não existe democracia ao se implantar um sistema. Sempre existirão grupos cujos interesses serão prejudicados. Simples.

Solução? Em qualquer caso, só a revolução. 

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

Livro - Hollywood: Uma história do Brasil - Compre já


Compre Já:


https://www.clubedeautores.com.br/book/246288--Hollywood_Uma_historia_do_Brasil?topic=biografiaetestemunho#.WkBpRFVKvIU

https://www.clubedeautores.com.br/book/246288--Hollywood_Uma_historia_do_Brasil?topic=biografiaetestemunho#.WkBpRFVKvIU

sábado, 28 de outubro de 2017

O GOLPE DE MESTRE

Resultado de imagem para meirelles



Resultado de imagem para jose serra

Finalmente Serra conseguiu cumprir seu acordo com a Chevron- Esse acordo vinha de 2000, como perdeu a eleição para Lula, não pode cumprir. Após 4 derrotas seguidas era necessário um grande golpe, onde os bandidos que sempre dominaram o Brasil, retornariam o poder e venderiam o resto do Brasil. O acordo foi feito entre grandes corporações e a facção comanda por Meirelles. Sim, Meirelles. Temer é apenas um fantoche, assim como Aécio. Com um juiz treinado pela CIA, uma imprensa vendida, e um povo ignorante e manipulado, tudo foi facilitado. Um STF já integrado, conforma gravações de Jucá (um grande acordo nacional) e um legislativo comprável. 
A solução estava na cara, o vice fantoche.

"O (des)governo golpista entregou o pré sal pela bagatela de 6 bilhões!!!
O pré sal que tem um valor estimado de 900 bilhões!!!
Só com a sanha de se manter no poder, o ilegítimo torrou mais de 32 bilhões com a compra de deputados!
O prejuízo estimado com a entrega do pré sal é de 3 trilhões!!!
Pagaremos essa conta por gerações! A educação chora, a saúde chora, os brasileiros conscientes choram!!!
Coxinhas e assemelhados, a culpa fundamentalmente é de vocês, que foram pras ruas bater panela pra tirar uma presidenta honesta e que não admitia as falcatruas dessa elite golpista!
Será que agora vocês entenderam pra quê foi o GOLPE!? Ou ainda vocês vão continuar se guiando por esse ódio cego ao PT!? E ainda achando que tudo é culpa do PT!?
Se vocês ainda não entenderam o GOLPE, é caso de internação "
3 bilhões é a dívida dos Ianques Terroristas, que agora será paga com nosso dinheiro.
3 bilhões é a transformação do Brasil num país sem problemas sociais, logo sem criminalidade. Sem pobreza. Bom para todos.
Mas vem mais, além da abolição, da abolição da escravatura, temos ainda que entregar o nióbio, o xisto e parte da amazônia. A maior reserva de água potável do mundo já está sendo negociada.
Seremos um país sem reservas, escravo de corporações e os coxinhas continuarão se preocupando com o "tiprequici" do Lula.
Pobres e ignorantes imbecis.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Os politicamente incorretos. A histeria e a hipocrisia andam juntas.



O chamado “politicamente correto” são um conjunto de teses de esquerda, usadas pela direita, para compor uma cartilha, cuja intenção era evitar sintomas, mas nunca sanar as causas.
A igualdade feminina, um exemplo típico.
A mulher é barrada nas principais instituições de extrema direita, que assinam como forma de propaganda, a igualdade. Vejamos onde entra a mulher em duas organizações tradicionais da direita como a Igreja Católica e Maçonaria?
-Talvez na propaganda e no fato de terem gerados filhos conservadores.
A única intenção do “politicamente correto, nesse caso é usar o apoio a tese, como forma de propaganda. Mas, “nos aceitamos seus direitos em tese, só não temos como enquadra-las em nosso meio”.
A partir do momento em que se luta pela propaganda do politicamente correto, sanam-se os efeitos da discriminação, mas não sessam as causas dos problemas. Ou seja: As mulheres vão continuar apanhando, mortes, sendo usadas, “até porque temos uma indústria para isso e essa nossa indústria depende disso. Temos que manter essa separação que é lucrativa. Isso tudo é o capitalismo”.

Nosso  sistema capitalista é calcado na supremacia masculina, branca e se possível sionista. “Só admitimos mulheres, como forma de divulgar nossa posição democrática, desde que subservientes”.
“Se você luta como um proletário idiota, por direitos iguais, será aniquilado de nosso convívio. Lute para sanar efeitos. Nunca as causas, pois lutar contra as causas seria o nosso fim.” Precisamos de mulheres no sistema, como Carmens, subservientes e obedientes. Odiamos guerrilheiras, ainda que confusas, que não nos obedeçam.

Nosso sistema jurídico lhe dará apoio para tirar de circulação o idiota que postou uma bunda de mulher, de homem é permitido, nossas organizações estão cheias disso. Mas a bunda de mulher, nua no carnaval, ou na propaganda do sabonete, será castigada quando causar comoções e for útil aos nossos interesses, por isso ampliamos nossa rede de destruição cultural para gerar seres idiotizados.

O politicamente correto nos faz mudar algumas estruturas, ele é genial, desde que o povo não pare para pensar. Então vamos garantir isso através da educação.
História, filosofia e sociologia são matéria nocivas. Uma a cada vinte que estudam, começam a pensar e podem ser no futuro a laranja podre do cesto. Vamos substitui por uma escola técnica, assim teremos mais lucros em nossas empresas e com ensino religioso, para que os súditos aprendam a convicção. Convicção é fé e não se discute a função das Marias e nem se exigem provas.
Está escrito e que assim seja.

A sexualização da sociedade é tão útil como a religião. Todos podem ir a zona, mas não devemos trata-la com normalidade. Algumas coisas se fazem escondido. Fotos de mulheres nuas deverão ser consideradas nocivas apenas quando nos interessar. É fácil criar uma histeria contra o abuso da figura feminina, desde que não seja no carnaval, pois ele está para nos como o futebol e a religião.  Façamos de conta, que nos importamos com o uso da nudez, quando nos for viável, assim mostramos nossa moral ilibada. Isso tudo pode ser provido pela nova educação, que é um aprimoramento da antiga.
Se a propaganda do banco sionista, mostrar a mulher gostosa, sensual e burra, como modelo, vamos aceitar, precisamos de mais imitadoras, mas se alguém comentar que essa mulher é mesmo gostosa, mostremos nossa indignação.

Esses dias me surpreendi com uma matéria do G1 de Santos, onde sugeria-se que um professor "imoral" usava a figura feminina com machismo, quando na verdade, o cara que assistia a um show no Rock In Rio, deitado na grama, teve sua frente tapada por uma garota, e ai postou a foto, “Vendo Rock In Rio sob um novo ângulo”. Até ai tudo bem, não teria problema se a mulher da frente estivesse vestida de madre, ou se fosse velha, ou se fosse a mãe dele. Mas era uma garota com metade da bunda para fora, o que levou as feministas locais a deduzirem, que o cara era tarado, ou incentivava estupros em ônibus, ou feminicidios?
Oras, isso é uma sociedade hipócrita e doente, onde juízes liberam maridos assassinos, por bom comportamento, onde ejaculadores de ônibus não são presos, mas ai percebi, pela cabeça das doentes, que a culpa era toda do professor.

Entre mais de 200 comentários, um deles dizia que o professor não deveria fotografar a moça de costas, sem a permissão dela. Opa!!! Tirem todas as câmaras de monitoramento do mundo, eu não dou ordem para ser filmado sem minha autorização.

Mulher invisível pode ser fotografa e ser vista sob novo angulo? 
Opa, mulher na praia não deve ser fotografada... Mas e se  é minha filha e pediu?
É imoral fotografar um morador de rua, ou imoral seria deixá-lo nessa condição?
Uma senhora toda coberta pode ser fotografada?
 Se for uma mulher de traseiro avantajado não posso fotografar?
Se pobres invisíveis estiverem a minha frente, eu posso falar que vejo tudo sob um novo angulo?

Vamos queimar todo o trabalho de Herny Cartier Bresson, ele numa pediu autorização para fotografar na rua... Mais  a rua não é mais publica? 
Não vamos confundir as coisas. A moça tem direito de sair de shots curtos, ou sem ele, moça, moço, ou seja o que for. Não deve ser importunada, tocada, agredida com palavras, gestos, ou fisicamente. Esse é o principio da coisa. Esse é o respeito pelo outro, não importa gênero, ou raça. Simples assim.
A luta feminista é muito maior que isso. Não pode se render a hipocrisia religiosa capitalista e servil.

Mas não se tira o direito da fotografar as ruas e eventos públicos, não se tira o direito a pensar e se manifestar se é bonito, ou feio. Claro, de acordo com o padrão de cada um. E quando eu fotografo alguém que se posta a minha frente como estatua, e ainda comento que trata-se da nova visão do evento que estou assistindo, não estou de forma alguma ofendendo ninguém.
E as ruas estão cheias de coisas interessantes, cheias de gente invisíveis, que só são reparadas quando fotografadas e mostradas. Não vai ai nenhum preconceito, pelo contrario, a mostra da diversidade e dos esquecidos é o que os fazem lembrados.

Chega de politicamente correto, quando se trata de efeitos. Vamos ao politicamente correto nas causas e elas atendem por fascismo, ignorância, fundamentalismo religioso, histeria de massa, hipocrisia, capitalismo explorador, que na verdade pode ser substituído por uma única palavra: IGNORANCIA.

Não. Esse artigo não é contra o politicamente correto. É contra a histeria sem fundamento, a hipocrisia e a sociedade religiosa. Mas se eu precisar provar aqui, que todo o machismo é cultural e vem da religiosidade, vamos então esquecer a inquisição e o Oriente Médio. E que siga o enterro...

Ah...Alguém quer falar sobre a industria da violência? Seus motivos e as vantagens de sua manutenção? 

domingo, 24 de setembro de 2017

Países ateus são mais desenvolvidos socialmente?

Crer ou não crer? – Os números da religião e do ateísmo no mundo
Imagem relacionada

Países mais desenvolvidos socialmente, com cultura mais elevada, menores diferenças sociais e menor criminalidade, são mais ateus. 
Suécia: 85%
  • População: 8,9 milhões
  • Ateus: 7,6 milhões
Vietnã: 81%
  • População: 82,6 milhões
  • Ateus: 66,9 milhões
O budismo e o taoísmo, religiões comuns por lá, são vistos como uma tradição, e não crença.
Dinamarca: 80%
  • População: 5,4 milhões
  • Ateus: 4,3 milhões
Um levantamento da ONU aponta que países com boa taxa de alfabetização tendem a ser mais descrentes.
Noruega: 72%
  • População:4,5 milhões
  • Ateus: 3,2 milhões
Japão: 65%
  • População: 127 milhões
  • Ateus:82 milhões
Em 2008, o pesquisador britânico Richard Lynn concluiu que países com alto QI são mais ateus. É o caso da população japonesa, que mantém a média 105 – uma das mais altas já registradas.
República Tcheca: 61%
  • População: 10 milhões
  • Ateus: 6,2 milhões
Finlândia: 60%
  • População: 5,2 milhões
  • Ateus: 3,1 milhões
França: 54%
  • População: 60,4 milhões
  • Ateus: 32,6 milhões
Coreia do Sul: 52%
  • População: 48,5 milhões
  • Ateus: 25,2 milhões

O MIMADO E A LEI DO ESQUECIMENTO

Crônicas

O MIMADO E A LEI DO ESQUECIMENTO

Estamos de olho/ Foto: Enio Ricanelo.
Enio Ricanelo
Escrito por Enio Ricanelo
A lei que protege políticos de críticas e sua possível utilização em casos como de João Dória.
No último mês de setembro, o Deputado Federal Luiz Lauro Filho (PSB/SP) fez ressurgir das cinzas a chamada “lei do esquecimento”, que muda o marco civil da internet. Na prática o texto, em margem, deverá proteger os políticos de críticas realizadas. Não falamos de “fake News”, mas sim, de qualquer texto noticioso que “cause danos à imagem da pessoa pública”.
Veja bem, é evidente que proteger a imagem pessoal contra mentiras veiculadas na internet, é legal, preciso e importante, porém, dentre os descalabros, os nossos mandatários utilizarão a seu favor, se blindando de críticas populares, visto que, já existe uma legislação que garante apoio a imagem contra notícias mentirosas ou discurso de infâmia.
Caso aprovada, a ação da lei será a retirada da matéria do ar e recolhimento do material distribuído, ou seja, simplesmente a matéria, texto ou algo do gênero, não havia existido, é um ataque direto a democracia, ao direito do cidadão e da imprensa livre.
Possível Utilização. Um caso que, possivelmente, caberia ação por parte do político, é o ataque de João Dória (PSDB-SP) a reportagem da rádio CBN que acusava a prefeitura de jogar água nos moradores de rua, no período de forte frio na capital paulista, durante a ação de limpeza das praças.
O prefeito ao ser indagado pelo repórter Pedro Durán, durante entrevista coletiva, retrucou. “Você é jornalista há quanto tempo? Responda”, logo depois disparou contra a repórter, também da CBN, Camila Olivo, que realizou a reportagem a respeito da limpeza noturna, acusando a jornalista de “ter um passado comprometido com o PT” e disse que a reportagem era mentirosa.
“Eu respeito o jornalismo da CBN, mas não respeito o trabalho dessa moça. Primeiro pelo seu passado ideologicamente comprometido ao PT, sua vivência com o PT e a sua falta de equilíbrio para colocar uma matéria que não foi correta. Então, não cabe aqui fazer juízo sobre o prefeito regional, cabe fazer juízo sobre o trabalho jornalístico dessa repórter, que mentiu e colocou uma informação falsa no site da CBN e na rádio. Estou afirmando, não supondo, a repórter mentiu e agiu de má-fé”. João Dória, prefeito de São Paulo.
Para Dória é mais fácil atacar o repórter de um veículo sério, do que reconhecer o descaso da prefeitura. O mimado, no caso prefeito, poderia, segundo a proposta da lei do esquecimento, pedir a retirada da matéria do ar, mesmo ela sendo verdadeira.
É um descaso com o contribuinte, é um ataque ao estado de direito. Não vem minha defesa aqueles que fabricam notícias mentirosas, mas sim, para todos nós jornalistas de verdade, que atuamos para o interesse público, pelo cidadão de bem. Isso só confirma que nossa classe política vive a “lei do Gérson”, que bem diria, “gosto de levar vantagem em tudo, certo?”
Por Enio Ricanelo, colunista, para Crônicas Cariocas.

domingo, 17 de setembro de 2017

Arte

Com relação a exposição promovida por uma organização capitalista do sul, é particular, ninguém é obrigado a ir, e tanto faz se estavam expondo criticas religiosas, ou aos bancos. Dá na mesma. São organizações do mesmo gênero, capitalistas, as tenho visto aqui, muita gente da geração Xuxa, condenando. A geração que vestia crianças de prostitutas infantis, que cresceu ouvindo música de corno, votando em ladrões entreguistas e cassados, e agora falam em moral.