sexta-feira, 30 de junho de 2017

Manual de greve no século XXI - Reforma Trabalhista

Imagem relacionada


Vamos fazer um greve?

O que temos para hoje?
-Reforma trabalhista.
De quem precisamos?
-Do trabalhador.
Ele sabe quais serão as perdas com a reforma  golpista, quando elas serão sentidas, quem está impondo essa reforma?

Então vamos fazer um resumo, fazer uns panfletos, sem logo dos sindicatos, pois esses já se venderam pela contribuição sindical obrigatória. Traíram o trabalhador. Poderiam aceitar, ou se arriscar a ter uma contribuição espontânea, mas o peleguismo venceu.

Mas vamos ao assunto: A reforma imposta por Meirelles, grande entreguista a serviço dos EUA e das grandes corporações, como a Friboi, da qual era o "chefão", vai tirar tais e tais direitos do trabalhador.
Seu salário será achatado por tal motivo e dentro de alguns anos, quando você for procurar emprego, terá menos direitos que um escravo. Sim. O escravo tinha comida e casa para morar, mas você mal terá direito aos dois ao mesmo tempo. Ah, mas o escravo apanhava. Sim, você apanha todos os dias na fila dos ônibus, no trem, sai de casa de madrugada, trabalha até a noite, toma bronca e batida policial, pois tem cara de pobre e morre na fila do SUS. Qual será a diferença.

Depois de tudo explicado, vamos a todas as redes sociais, à porta da fabrica, aos bairros populares, nas portas de escolas, com um panfleto simples, para  os filhos dos trabalhadores.
O que vamos evitar. Transtornos para o próprio trabalhador.
O que causar: Transtornos ao sistema financeiro. Transtornos aos empresários, principalmente ligados a Fiesp. Transtornos ao comercio de grandes empresas.
O que não falar: Em teses, estudos sociológicos, luta de classes. Nesse momento o trabalhador se interessa e saber o que deve saber, no que será prejudicado, quanto irá perder, quais serão suas garantias e de sua família.

Hoje, dia 30 de junho de 2017 tivemos u exemplo do que não dever ser uma manifestação, ou pelo menos de algo, que nunca dará resultados.

Vejam as opiniões de trabalhadores desinformados, burgueses burros, micro empresários ignorantes:

#####  Gente enchendo o saco de quem tem o que fazer.
Quando mais isso, mais o povo os odeia. Tiro no pé e não enxergam.
Não é mobilização. É imobilização de trabalhadores por meia dúzia de desocupados.
CurtirMostrar mais reações
Responder9 h
Remo
##### Simbólico = fracasso
CurtirMostrar mais reações
Responder
1
8 h
Remover
##### Cada dia mais as pessoas entendem o erro desse tipo de manifestação, este fracasso mostra isto.
CurtirMostrar mais reações
Responder8 h
Remover

##### E fácil participar deste tipo de evento quando não se trabalha, ou tem o emprego garantido por concurso, sindicato, ou por puxar o saco de quem está no poder. Trabalhador mesmo contrário ao governo, tem uma preocupação maior seu próprio sustento. Como disse cercear o direito de ir e vir e crime, polícia em cima.
CurtirMostrar mais reações
Responder
1
8 h
Remover
##### Vão p Brasília!!!!! ....e para de atrapalhar quem trabalha !! 
Situação ridícula ....
CurtirMostrar mais reações
Responder
1
8 h
Remover
#### Isso pq falaram q na Capitao Barduino tinha 70 pessoas... capaz de falarem q na praça tinha 55 heheehehe
CurtirMostrar mais reações
Responder5 h
Remover
### Cita uma coisa negativa na reforma trabalhista!!!! Sem bla bla bla ....seja objetivo.
CurtirMostrar mais reações
Responder3 h

#### Ninguém Ta satisfeito com.nada. com Temer e sua corja porém protestar ferrando trabalhador é que é vergonhoso. Falta de respeito. Esse bando de desocupado, pelegos atracados nas tetas dos impostos sindicais, nao querem que acabem com a contribuição, isso sim. É esse o real motivo desse enchimento de saco.
Remover
 mais Curtir
Mostrar mais reações
Curtir Responder4 h
####  Greve é pra vagabundo que não gosta de trabalhar,greve e pra vagabundo improdutivo,greve é pra vagabundo sem perspectiva de sucesso...

#### Kkkkkkkk bando de vagabundos, palhaços pagando mico
CurtirMostrar mais reações
Responder11 h

#### Gente enchendo o saco de quem tem o que fazer. Quando mais isso, mais o povo os odeia. Tiro no pé e não enxergam. Não é mobilização. É imobilização de trabalhadores por meia dúzia de desocupados.
CurtirMostrar mais reações
Responder9 h