sábado, 18 de fevereiro de 2017

Fábrica da violência

A violência da direita é impune.

Resultado de imagem para criminalidade


Quando falamos de violência pensamos logo na “violência de varejo” . Aquela do dia-a-dia, no assalto na casa, no roubo na rua, no roubo de carro, de sequestros, assassinatos, etc.
Varejo uma ova, pois hoje vem no atacado.
E no atacado é impune como os seus verdadeiros causadores. O estado e a facção chamada de classe dominante.
São famílias de vitimas do descaso do estado fazendo vitimas na sociedade.
Fazem parte dos posseiros expulsos da terra por grileiros protegidos pelo sistema, desempregados de multinacionais por empresários protegidos pelo sistema.
É a violência dos violentados, que não tem onde morar, pois Minha Casa é para classe alta nos governos de direita. Expulsos da escola, pois a fome fala mais alto que a vontade de aprender e a merenda roubada faz falta na barriga do pobre.
É a violência que cresce as margens dos Lava-Jatos empenhados em achar um crime para o Lula enquanto a “facção oficial” indica ministros e ministros se divertem nos iates do poder com as filhas dos futuros violentos.
Bandidos batem em idosos, enquanto seus país sofrem nas filas dos aposentados. Estupram crianças enquanto um congresso cheio de estupradores gente de bem, no congresso fazem as leis. Mas só para eles, os bandidos pobres.
A casse média, sempre achando que não é pobre, que não é violentada apenas reza. Ora na hora. Mas nessa hora os violentos já se rebelaram. Os culpados jantam na mesa da justiça.

E a violência vai cuidando naturalmente de aniquilar a classe média. Aquela mesmo que levou os culpados ao poder e transformou  violentados em violentos.